Campanha do PSDB ganha musculatura

Para acomodar aliados, PSDB terá quatro chapas com deputados Por em julho 31, 2018 8:16 pm , Categorias: Categorias: Categorias:

 

 

Durante convenção do PSB na última quarta-feira (25), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que a coligação do partido tucano com aliados lançará quatro chapas para as eleições de outubro. Duas chapas serão compostas por candidatos a deputados federais e estaduais já eleitos e outras duas com os candidatos dos partidos menores que tentam conquistar vaga na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

 

A criação de uma “chapinha”, como vem sendo chamada nos bastidores, é a saída encontrada pelos tucanos para resolver o “inchaço” causado pelo excesso de candidatos a deputado estadual, por exemplo.

 

Reinaldo afirmou que no cenário estadual uma chapa unirá os candidatos do PSDB e a outra os candidatos de partidos menores, como o PSB, PTB, Solidariedade e até o PRB. “Divide e oportuniza a todos para disputarem com igualdade”, disse.

 

Outra estratégia já estudada pelo partido para atrair aliados é mudanças nas secretarias de Estado em caso de reeleição. “Se tiver um novo governo, será um governo com cara nova”, afirmou Reinaldo.

 

A pedido de Reinaldo, o pastor Antônio Dionizio, do PSB, será suplente de Nelsinho ao Senado.

 

Uma das condições para o PSB confirmar apoio ao PSDB nas próximas eleições foi composição de Antônio Dionizio, pai do deputado federal Elizeu Dionizio, em chapa de Nelsinho Trad (PTB) ao Senado. O PSB anunciou, na tarde da última quarta-feira (25), que fará coligação com o partido tucano.

 

Pai do deputado federal, o pastor Antônio Dionizio, presidente da igreja Assembleia de Deus Missões, será suplente na chapa de Nelsinho do Senado. Até então, o pastor era cogitado para integrar chapa de Odilon de Oliveira (PDT) ao Governo, mas a aliança com o partido tucano fez com que Antônio migrasse para composição com o PTB, que também é aliado de Reinaldo Azambuja (PSDB).

 

Além do PSB, Reinaldo já recebeu a garantia de apoio do Solidariedade, em maio, vinda do presidente nacional da legenda, o deputado federal Paulo Pereira da Silva (o Paulinho da Força, de São Paulo). O PPS, aliado da primeira eleição, também é aguardado no arco de alianças.

 

As articulações em torno da candidatura de Reinaldo envolvem partidos que estão entre os de maior bancada na Câmara dos Deputados – o que garantiria aos tucanos mais tempo na propaganda eleitoral no rádio e na TV, partilhado conforme a presença dos partidos naquele parlamento.

 

Os tucanos mantêm tratativas avançadas com o DEM, conforme ressaltado pelo próprio governador nesta semana, que avalia indicar o candidato a vice ou ao Senado na chapa.

 

A aproximação do PTB é aguardada para os próximos dias, a ponto de o PSB já indicar o pastor Antônio Dionizio, pai de Elizeu, para a primeira suplência da candidatura de Nelsinho – o que dá novos contornos para a chapa de Reinaldo.

 

O PSD, do prefeito Marquinhos Trad, deve oficializar em breve a aliança, repetindo no Estado os entendimentos nacionais conduzidos pelo presidente nacional, Gilberto Kassab, em torno da candidatura presencial de Geraldo Alckmin (PSDB).