Campo Grande reabre legislativo sob forte expectativa política

Câmara retoma atividades em ano nervoso, mas João Rocha afirma que interesse público prevalece Por em fevereiro 4, 2020 3:04 pm , Categorias: Categorias: Categorias:

 

 

O presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha (PSDB), e os demais 28 parlamentares, retomaram as sessões do legislativo nesta segunda-feira (3), dando início ao último exercício da legislatura que começou em 2017. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) esteve presente, assim como representantes do governo estadual, poderes e sociedade organizada.

 

É ano de eleição municipal e mais de 90% dos vereadores estarão empenhados na luta por mais um mandato. Isso, entretanto, não vai prejudicar a normalidade das agendas políticas e regimentais, segundo afiançou João Rocha. “Temos um corpo de representantes que dignificam o mandato, são conscientes de suas responsabilidades e colocam o interesse público em primeiro lugar”, enfatizou.

 

Marquinhos Trad, que é também pré-candidato à reeleição, apresentou a atual situação administrativa e financeira do Município, abordou os projetos e investimentos que pretende executar até dezembro. Outro aspecto das manifestações do prefeito que está sendo aguardado pelos vereadores é sobre a garantia das relações entre Legislativo e Executivo, tendo em vista as diferenças pontuadas por incompatibilidades político-partidárias e ideológicas.

 

Sobre essa expectativa, Rocha e Trad já antecipavam no final do ano passado, quando se iniciava o recesso, que as disputas eleitorais não iriam interferir na condução republicana e democrática dos poderes. Ambos frisaram até que a Câmara exerceu um papel fundamental na aprovação de matérias e outras iniciativas que contribuíram para os avanços na retomada do crescimento em Campo Grande, independentemente das cores e interesses políticos de cada um.

 

No recesso parlamentar de 23 de dezembro a dois de janeiro, a Câmara não interrompeu totalmente suas atividades. A Mesa Diretora manteve os trabalhos administrativos e os vereadores fizeram o mesmo em seus gabinetes. Foram suspensas apenas as atividades em Plenário, audiências públicas e solenidades oficiais. Os vereadores João César Mattogrosso (PSDB), William Maksoud (PMN), Valdir Gomes (PP), Veterinário Francisco (PDT) e Odilon de Oliveira (sem partido) ficaram de plantonistas nesse período compondo a comissão representativa do recesso.

 

PAUTA CHEIA

 

Para o reinício da legislatura, a pauta de votações indica que o volume de trabalho será semelhante ou até mais exigente que no ano passado, por causa das agendas eleitorais. Ao menos dois projetos de lei estão previstos para votação já na terça-feira (4), quando acontecerá a primeira sessão ordinária de 2020.

 

Duas matérias serão votadas em primeira discussão. Uma é o PL 8.851/18, do vereador Pastor Jeremias Flores, que altera o artigo 3º da Lei Municipal 4.494/07 e dá outras providências. A proposta transfere a Semana da Mobilização em Defesa dos Direitos dos Deficientes para a semana de 21 de setembro, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência.

 

Outro projeto é o 8.868/18, que dispõe sobre o hasteamento das bandeiras de Campo Grande e do Brasil e a entoação do Hino Nacional Brasileiro e Hino a Campo Grande nos estabelecimentos de 1º grau da Rede Municipal de Ensino e escolas privadas. A proposta é do vereador William Maksoud e prevê que o ato seja realizado uma vez na semana, no início das aulas.