Entidades recebem lenços doados por deputados e servidores

Pelo segundo ano consecutivo, a Assembleia Legislativa realizou a Campanha Doe Lenços Por em novembro 1, 2018 1:30 pm , Categorias: Categorias:

 

 

O diagnóstico de câncer tem, na maioria dos casos, um impacto devastador na vida da pessoa que o recebe. O tratamento pode ter efeitos colaterais, como a perda do cabelo, comprometendo a autoestima e agravando o sofrimento psicológico do doente. Pelo segundo ano consecutivo, a Assembleia Legislativa realizou a Campanha Doe Lenços, como forma de ajudar e fortalecer a mulher para o enfrentamento da doença. Na manhã desta quarta-feira (31), o 1º secretário da Casa de Leis, deputado Zé Teixeira (DEM), fez a entrega das doações para as representantes da Rede Feminina de Combate ao Câncer, do Hospital Rosa Pedrossian e do Grupo Mulheres do Peito.

 

Em nome das entidades beneficiadas, Magda Braz Alves, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Campo Grande, comentou o significado do lenço para as mulheres em tratamento. “Elas sofrem com a queda dos cabelos e com a mutilação da mama. E os cabelos e os seios estão relacionados à feminilidade, à maternidade, à sexualidade e à estética. O lenço, como a prótese, diminui o sentimento de tristeza e até de reclusão. Por isso, queremos agradecer pelo envolvimento dos deputados estaduais e servidores da Assembleia. É imensurável o significado desta campanha”, relatou.

 

De acordo com Magda, a instituição existe há 30 anos e atende aproximadamente 100 mulheres por mês. Zé Teixeira, um dos autores da Lei que instituiu em Mato Grosso do Sul a Campanha Outubro Rosa, destacou a importância das ações realizadas pelo Poder Público e entidades privadas. “São movimentos que reforçam a necessidade do exame e da prevenção. O avanço da tecnologia levou à melhoria dos meios de diagnósticos e de tratamento, o que possibilita a cura da doença. Não podemos esquecer que todo dia é dia de alerta”, afirmou o deputado, que foi curado de um câncer de rim e outro de próstata.

 

 

O Ministério da Saúde recomenda a realização periódica do exame de mamografia (a cada dois anos ou conforme critério médico). Cerca de 30% dos casos podem ser evitados com a adoção de hábitos como a prática de atividade física regularmente, ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado e evitar o consumo de cigarro e bebidas alcoólicas.