Galeria da TV Educativa expõe a obra de Roberto Higa

Higa e a esposa, Sandra, ouvem os elogios de Bosco Martins à vitoriosa carreira do profissional Por em novembro 4, 2019 1:30 pm , Categorias: Categorias: Categorias:

 

 

O Espaço Cultural Aldo Olarte de Souza – a Galeria de Arte da TV Educativa – está recebendo a visita de admiradores e amigos que formam o grande público de fãs do fotógrafo mais emblemático em atividade no Estado. A exposição ‘Um Olhar: Roberto Higa’, aberta na quarta-feira (30) para homenagear os 45 anos de carreira de Higa, está seguramente entre os eventos culturais e históricos mais importantes no ano em que Campo Grande completou seu 120º aniversário de fundação, como muito bem frisou o jornalista Bosco Martins, da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul).

 

O conjunto de obras em exposição foi reunido e elaborado por integrantes da Confraria Socioartista, em parceria com a Fertel. Na abertura do evento, um grande e ilustre público lotou o espaço. Nomes destacados das artes passaram pelo local para prestigiar a homenagem. Higa, emocionado, agradeceu ao apoio da mulher, Sandra, familiares e amigos ao longo de sua trajetória.

 

As lentes do fotógrafo, que começou como office-boy no extinto Diário da Serra e logo partiu para o fotojornalismo, registraram momentos únicos não apenas da história do Estado, mas também do seu desenvolvimento, incluindo os passos dados por Campo Grande para se tornar uma das principais cidades brasileiras. Por sua vez, o artista plástico Pedro Guilherme aproveitou para exaltar a importância de Roberto Higa e agradecer à Fertel e ao Governo do Estado pela cessão da Galeria de Arte para recepcionar a mostra, “um espaço que vem se tornando cada vez mais importante para as artes no nosso Estado”.

 

A exposição tem a curadoria de Ana Rita Moras, produtora cultural e também produtora da TVE Cultura MS. A presidente da Fundac (Fundação de Cultura de Campo Grande), Melissa Tamaciro, representando o prefeito Marquinhos Trad, relembrou as raízes que compartilha com Higa e que se fazem presentes na Capital, “com a presença da cultura japonesa no processo de formação da cidade” a partir da vinda dos imigrantes que, hoje, estão inseridos na identidade da Cidade Morena.

 

Diretor-presidente da Fertel e representando o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Bosco Martins aproveitou a homenagem para se reencontrar com Higa, com quem realizou trabalhos memoráveis na imprensa local e nacional. Na abertura da exposição, por exemplo, lembrou-se do “Picasso Pantaneiro”, quando, em reportagem para a revista Caros Amigos, ambos foram incumbidos de entrevistar o poeta Manoel de Barros. O trabalho foi visto pelo fotógrafo como um “renascimento”, pois foi realizado depois de ele se recuperar de um AVC.

 

“O Higa chegou cheio de ideias e vontade, queria fotografar o poeta de jeitos diferentes. Até que, em meio a trocas de roupas, o Manoel, sem camisa, brincou mostrando o físico bem em frente à reprodução de um quadro do Pablo Picasso. E foram feitos os cliques. Este é hoje um dos registros fotográficos mais famosos sobre o Manoel de Barros”, destacou Bosco, reforçando que o “pós-morte” de Higa não poderia ser melhor sucedido. A história será contada em “Diálogos do Ócio”, livro que Bosco finaliza sobre a vida do poeta e que será lançado em 2020.