“Muito conquistamos. E há muito a fazer pela cidade”

João César: “Câmara e Prefeitura atuam em coalizão, com o propósito de garantir uma Campo Grande melhor para todos”

 

 

* Por Geraldo Silva

 

Com 50 propostas de sua autoria transformadas em lei e presente em mais de 140 intervenções propositivas, o vereador João César Mattogrosso (PSDB) está entre as vozes que se destacam no cenário da representação política de Campo Grande. Para ele, esse desempenho traduz compromissos assumidos em praça pública e faz parte dos valores e objetivos que defende.

 

Na entrevista exclusiva à FOLHA, João César destaca os desafios do mandato, analisa o impacto do ano eleitoral na parceria entre o Estado e o Município, avalia as gestões do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), além de abordar as investigações da Assembleia Legislativa e Câmara de Vereadores sobre as denúncias contra a política tarifária da Energisa.

 

João César Mattogrosso preside o Diretório Municipal do PSDB, é bacharel em Direito e empresário (sócio proprietário da Germisul Comercializadora e Exportadora de Sementes de Pastagens e da Pastotech Sementes de Pastagens). Sua ligação com a política começou na Universidade, integrando o Diretório Central de Educação (DCE). Desde 2000 participa de campanhas e movimentos políticos e sociais. Diz ter entrado na vida pública crendo ser possível renovar o cenário político e trabalhar na construção de uma Capital cada vez mais desenvolvida, social, econômica e sustentavelmente.

 

FOLHA DE CAMPO GRANDE – Qual o saldo que o senhor faz de seu mandato, incluídos os avanços e os revezes?

JOÃO CÉSAR MATTOGROSSO – Posso afirmar, finalizando o terceiro ano de mandato, que estamos cumprindo com o objetivo de trabalhar conectado com a população, abrindo o nosso mandato para que todos participem de forma coletiva, com o propósito de alcançarmos as melhorias pleiteadas e buscar mais qualidade de vida para todos. Já percorri e sigo caminhando pelas sete regiões da Capital, sempre conversando com os moradores para entender qual a realidade de cada local e como podemos ajudar a melhorar. Quanto à atividade parlamentar, tenho 50 leis sancionadas pelo Executivo e integro mais de 140 proposições no legislativo municipal.

 

FCG – Concretamente, quais alguns dos resultados destas ações?

JCM – Destaco entre as conquistas obtidas para os bairros o asfalto para o Rita Vieira e Parque Dallas, uma luta que abracei junto às Associações de Moradores e em breve teremos a execução da pavimentação e drenagem. Outra melhoria significativa foi a revitalização das rotatórias da Via Parque com a Mato Grosso (2017) e da Avenida Interlagos com a Gury Marques (2018) e, atualmente, estão sendo realizadas as readequações viárias na Joaquim Murtinho, com a Ceará e a Eduardo Elias Zahran, todas fruto do nosso trabalho junto ao Executivo Municipal e o Governo do Estado.
Também contamos com o apoio dos deputados federais. Com o Beto Pereira (PSDB) conseguimos emendas para revitalização da área de campo de futebol no Indubrasil e Aero Rancho, somando R$ 1.250.000,00; a deputada Rose Modesto (PSDB) viabilizou R$ 7 milhões, também por meio de emendas, somada a contrapartida do Governo de mais R$ 7 milhões, para pavimentação e drenagem no bairro Aero Rancho; e com o deputado Fábio Trad (PSD) pleiteamos, entre outras melhorias, recursos para aquisição de equipamentos para construção de “Academias ao Ar Livre”. Ressalto ainda a construção de academias ao ar livre, como a que foi realizada no Recanto dos Pássaros, atendendo a uma demanda de anos dos moradores. Da mesma forma foram construídas pistas de caminhada na região da Vila Nasser.

 

FCG – Há prioridade então para o recorte inclusivo?

JCM – Quanto ao viés social, temos o projeto Parceiros da Cidadania, que já atendeu milhares de pessoas nas oito edições realizadas nos bairros, e a nossa parceria com o Grupo Onça Pintada, em que levamos o ônibus de combate ao câncer de mama para atender as mulheres nos bairros. E ainda há muito para ser feito, mais progresso a ser alcançado, propostas em andamento, assim como as reivindicações de melhorias. Sabemos que tudo depende da liberação de recursos, por isso em alguns casos não conseguimos progredir na velocidade que gostaríamos. O fato é que atuando com responsabilidade chegamos até aqui com um saldo muito mais positivo, com a nossa cidade em ascensão contínua. Os problemas ainda são muitos, mas com a força do trabalho, em harmonia entre os poderes, conseguiremos superar os entraves e melhorar a qualidade de vida da nossa população cada vez mais, especialmente no que tange à saúde pública.

 

FCG – O apoio da Câmara garantiu a aprovação de tudo que o prefeito propôs. Isso não prejudica o papel de um poder que tem a atribuição de fiscalizar o Executivo?

JCM – Todas as matérias aprovadas pela Casa de Leis são criteriosamente analisadas, desde o impacto financeiro até a efetivação da melhoria apresentada em cada proposta. A fiscalização é e sempre será constante, para garantir que os recursos sejam aplicados com transparência e seriedade. Importante frisar que a Câmara Municipal atua em coalizão com o Executivo, com o propósito de proporcionar uma Campo Grande melhor para todos. Inclusive, foi firmado entre a Prefeitura, Câmara e o Governo do Estado o convênio “Juntos Por Campo Grande”, criado para garantir mais avanços para Capital, o que está ocorrendo desde 2017. Além disso, o Governo Presente, programa desenvolvido pelo governador Reinaldo Azambuja, trará ainda mais investimentos e infraestrutura para Capital.

 

FCG – A parceria Estado-Munícipio será afetada pelas disputas eleitorais?

JCM – Independente do pleito eleitoral, acredito que a prioridade máxima deve ser o desenvolvimento da cidade e a melhoria da qualidade de vida dos campo-grandenses, que não pode ser afetada em nenhuma circunstância. A disputa é um processo natural, democrático e que será feito sempre com responsabilidade e respeito à nossa população, seja qual for o cenário.

 

FCG – O PSDB vai ter candidato próprio e cumprir resolução nacional ou vai buscar um jeito de garantir a aliança pela reeleição de Marquinhos Trad?

JCM – Esta questão será discutida somente no próximo ano com todos os filiados do partido. Ainda não há definição.

 

FCG – No que vai dar essas ações da Assembleia e Câmara para enquadrar a Energisa?

JCM – Originariamente a competência legal pra interpelar a Energisa por meio de uma CPI é da Assembleia Legislativa, por tratar de Concessão Pública Estadual. Acredito que, havendo fatos determinados passíveis de apuração da conduta ilegal por parte da concessionária, os deputados tomarão as providências legais.
Quanto ao nosso papel enquanto legisladores municipais, nós estamos atuando com fiscalização em casos de irregularidades pontuais. Quando identificamos alguma conta mensal equivocada, estamos conduzindo aos trâmites para que seja feita apuração sobre valores e eventuais arbitrariedades. Estamos atuando em favor da população cobrando a concessionária quando identificamos a necessidade.

 

FCG – Quais os acertos e os erros principais da gestão Marcos Trad?

JCM – Muitos são os desafios para tornar Campo Grande melhor a cada dia e acredito que isso só é possível graças a um trabalho feito em parceria e harmonia com a Câmara Municipal e o Governo do Estado. Quando assumimos esta gestão, tanto o Executivo e Legislativo, nos deparamos com a cidade em uma situação caótica. Uma das maiores crises era o asfalto em praticamente 100% de Campo Grande, que estava tomado por buracos, dentre tantas outras questões negativas que demandaram muito esforço e recursos para voltarmos a ter qualidade de vida na Capital. Progredimos e melhoramos em muitos aspectos, com destaque para melhorias na infraestrutura, como a recente inauguração da 14 de Julho revitalizada e as readequações viárias nas rotatórias. Mas ainda há muito mais para melhorarmos, em especial no quesito saúde, com mais estrutura e atendimento digno para população.

 

FCG – Qual avaliação o senhor faz desse segundo mandato do governador Reinaldo Azambuja?

JCM – Mesmo em um momento de grave crise financeira em escala nacional, Mato Grosso do Sul é um dos poucos estados da federação que não sucumbiram. Isso é reflexo de uma gestão responsável, transparente e feita com competência. Um governo sério pensa no todo e essa é uma marca do governador Reinaldo Azambuja, que mesmo diante de medidas impopulares, age com tranquilidade, pois sabe que está fazendo o melhor para que o Estado continue a dar certo.

 

FCG – Quer dizer que isso tudo é resposta à crise?

JCM – Outro ponto a ser enfatizado é que os servidores públicos estão com os salários em dia, situação rara em outras localidades, e que a geração de emprego e renda continua crescente. Acredito na eficiência do governador e que conseguiremos atravessar esse momento de crise, retomando o pleno desenvolvimento. Em 2019 o Governo Presente, iniciativa da gestão estadual, está acompanhando a demanda dos 79 municípios, a fim de traçar estratégias de aprimoramentos em todas as cidades. Na Capital o governador esteve com os representantes das principais pastas do Executivo junto com o prefeito e vereadores para acompanhar as reivindicações e traçar o plano de trabalho e investimentos. De igual modo está acontecendo nas principais regiões do Estado, reunindo representantes de todos os municípios.

Compartilhe: