Obras abandonadas são viveiros do mosquito, denuncia Rinaldo

Deputado afirma que Prefeitura não pode virar as costas a problema tão grave Por em março 11, 2019 6:37 pm , Categorias: Categorias: Categorias: Categorias:

 

 

Abandonadas e malcuidadas, as obras que beneficiam Campo Grande, iniciadas e não-concluídas, são focos potenciais da dengue. A afirmação é do deputado estadual Professor Rinaldo Modesto (PSDB), ao apelar ao prefeito Marquinhos Trad (PSD) para que providencie o término de empreendimentos que já deveriam estar sendo usufruídos pela população.

 

O parlamentar citou duas dessas obras, a praça do Jardim Noroeste e a unidade de saúde do Projeto Rede Solidária, no Bairro Dom Antonio Barbosa. “A praça beneficiará mais de 50 mil pessoas da região. A outra dá opção de aulas no contraturno, segurança aos jovens que não ficariam mais nas ruas e encaminhamento dos pais ao mercado de trabalho. Mas estão lá, abandonadas e podem influenciar nos focos da dengue em vez de estarem atendendo a população”, enfatizou.

 

Em seguida, Rinaldo reforçou pedido de empenho a Marquinhos Trad e salientou: “Temos que acabar com essa mania do Brasil. Obra tem que ter começo, meio e fim”. Para ele, também é preciso realizar mais ações para prevenção da dengue, que já foi epidêmica no Estado.

 

“A dengue pode levar a óbito e não podemos mais chorar o leite derramado. Temos que trabalhar na prevenção para não pagarmos mais o preço alto da doença. Crianças morrendo. Estamos entre os estados com mais pessoas contaminadas. Isso precisa mudar”, arrematou.