Secretário reforça que indústrias não podem parar

“O Governo do Estado vai garantir que a população não sofra com a falta de abastecimento nos supermercados e nem haja pânico”, declarou Jaime Verruck

 

 

O secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, reforçou que as indústrias de alimentação de Mato Grosso do Sul e toda a cadeia que integra a produção de alimentos no Estado não devem suspender o funcionamento para afastar qualquer risco de desabastecimento dos supermercados e atacadistas em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

 

“As indústrias alimentícias e toda a cadeia que faz parte da produção de alimentos são serviços essenciais e não podem parar. Para isso, o Governo do Estado vai garantir uma estrutura logística e operacional para que a população que cumpre as medidas de isolamento, dentro de suas casas, não sofra com a falta de abastecimento nos supermercados e nem haja pânico”, declarou Jaime Verruck.

 

Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, o Governo do Estado também considera como serviços essenciais, além da produção e comercialização de alimentos, a geração e distribuição de energia elétrica, o abastecimento de água potável e a venda de combustíveis. “Sem as indústrias de alimentos e de toda a cadeia que envolve essas indústrias, não teremos reposição nos supermercados e nem de alimentos in natura. Então, estamos fazendo uma estrutura muito grande para manter a logística e a produção para que esses alimentos continuem chegando aos supermercados e atacadistas dos nossos 79 municípios”, afirmou.

 

Ele lembrou que também é importante que estejam funcionando as empresas que abastecem as indústrias alimentícias. “Quando pensamos na indústria alimentícia, temos toda uma cadeia por trás, que também não pode parar porque a indústria precisa receber insumos, embalagens. Percebemos nesses últimos dias um boom no consumo de biscoitos, então é importante que haja óleo, farinha, sal, açúcar, manteiga disponível para a produção desses produtos”, destacou.

 

No entanto, Jaime Verruck acrescenta que é fundamental que as empresas adotem as medidas determinadas pelo Ministério da Saúde para evitar a contaminação e disseminação do novo coronavírus entre os seus colaboradores. “É preciso verificar o espaçamento entre os industriários, cuidar da entrada e saída das pessoas, principalmente agora com a suspensão dos serviços de transporte coletivo urbano em Campo Grande. Tudo isso para garantir que as pessoas que podem ficar em suas casas fazendo o isolamento necessário tenham a tranquilidade de saber que tem comida nos supermercados”, pontuou.

Compartilhe: