Sesi lança campanha para auxiliar empresas com o eSocial

Por em novembro 6, 2018 7:11 pm , Categorias: Categorias: Categorias:

 

 

Depois de alguns adiamentos, o eSocial já é uma realidade e as empresas precisam estar preparadas para se adequar ao que é exigido pela lei. O não envio de diversas informações trabalhistas dentro dos prazos pode gerar penalidades para as empresas, segundo o Ministério do Trabalho.

 

Nesta hora, o Sesi pode ajudar empresários, contadores e gestores das áreas de recursos humanos em diversos aspectos do eSocial relacionados à Saúde e Segurança do Trabalho – a consultoria oferece ferramentas para que a empresa possa cumprir todos os critérios, indica melhorias a serem implementadas pela empresa e disponibiliza orientações sobre toda a legislação que envolve a nova ferramenta do Governo Federal.

 

“O eSocial será capaz de detectar inconsistências dentro da própria empresa em relação aos dados trabalhistas, fiscais e previdenciários. Pode-se dizer que ele é para a empresa o que foi o imposto de renda para a pessoa física, porque é a própria empresa quem declara o que fez ou deixou de fazer nos quesitos de saúde e segurança do trabalho, recursos humanos, contábeis, financeiro e jurídico”, analisou a diretora de Saúde e Segurança do Trabalho do Sesi, Adriana Sato.

 

“Então, para que a empresa não seja penalizada com multas e outras penalidades, é preciso que ela entenda e domine bem as exigências do eSocial e como abastecer essas informações na plataforma do governo federal”, explicou Adriana Sato sobre como o Sesi pode facilitar a vida das empresas.
No dia 21 de outubro, o Sesi lançou campanha veiculada nas redes sociais, televisão e outdoors para divulgar a consultoria de eSocial e mostrar aos empresários como a instituição pode auxiliar na multiplicação do conhecimento sobre a legislação em SST e prover ferramentas para que a empresa possa cumprir todos os critérios.

 

COMO FUNCIONA

 

A consultoria de eSocial do Sesi atua da seguinte maneira:

 

1. Visita in loco
Um profissional da assessoria jurídica do Sesi vai até a empresa e faz uma avaliação minuciosa de cada um dos pontos que deverão ser cadastrados no eSocial.

2. Relatório
A partir desta visita, é elaborado um relatório constando todos os aspectos que estão em desacordo com a legislação e são passíveis de multa no âmbito da legislação do eSocial.

3. Plano de ação
O relatório é discutido com a empresa e, em conjunto, é elaborado um plano de ação para correção e adequação de procedimentos para que fiquem em conformidade com o eSocial.

4. Software
O Sesi disponibiliza para a empresa um software, o SOQ, para que o eSocial possa ser alimentado de forma facilitada, com todos os dados obrigatórios. O programa também já está pronto para realizar a transmissão dos dados para o eSocial. Ou seja, basta preencher os dados solicitados e realizar o envio ao governo.

5. Treinamento
Funcionários indicados pela empresa receberão um treinamento para fazer a alimentação dos dados no eSocial, além de aprender quais dados, onde e quando fazer a transmissão.

6. Programas legais sob medida
Todos os programas legais obrigatórios para o eSocial – PPRA, PCMSO e análise ergonômica do trabalho – serão confeccionados pelo Sesi, com exclusividade e sob medida para cada empresa.

7. Trabalho multidisciplinar
Diversos profissionais do Sesi atuam na consultoria de eSocial: da área de segurança, ergonomia e saúde do trabalho, todos qualificados para levar à empresa as melhores práticas em SST.

 

O QUE É O ESOCIAL

 

O eSocial é uma ferramenta que reúne os dados trabalhistas, fiscais, previdenciários das empresas em uma só plataforma. Ele substitui o preenchimento e a entrega de formulários e declarações que até então eram enviados a órgãos diferentes como a Previdência, o Ministério do Trabalho e a Receita Federal.

 

O repasse das informações foi dividido da seguinte forma: cadastro do empregador e tabelas; dados dos trabalhadores e vínculo de emprego; folha de pagamento; substituição da guia de contribuições previdenciárias (GFIP); substituição da guia para recolhimento do FGTS (GFIP); dados de segurança e saúde do trabalhador.

 

O não envio dos referidos dados pode gerar atraso nos recolhimentos e penalidades para as empresas, de acordo com o Ministério do Trabalho. O novo sistema do governo é adotado aos poucos, até passar a ser obrigatório para os 18 milhões de empregadores do país.

 

Para mais informações sobre a consultoria do Sesi em eSocial basta clicar aqui ou ligar para o telefone 0800 723 7374.