Suspensão temporária das reuniões não prejudica CPI, diz Barbosinha

Apesar de os prazos de todas as Comissões estarem suspensos, os atos administrativos da CPI que estavam em andamento, continuam

 

 

Os deputados que integram a CPI da Energisa deliberaram nesta terça-feira (17) por suspender os prazos para conclusão das investigações sobre as eventuais irregularidades nas contas de energia elétrica no Estado. O ato seguiu medida adotada, no mesmo dia, pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), que determinou o fechamento da Casa de Leis por 15 dias, devido ao aumento dos casos de contágio pelo coronavírus (Covid-19) em MS.

 

Apesar de os prazos de todas as Comissões, inclusive os da CPI, estarem suspensos com o fechamento da Assembleia, os atos administrativos da CPI que estavam em andamento, continuam, segundo o deputado Barbosinha, vice-presidente da Comissão.

 

“Nesta quarta-feira (18) tem início a retirada dos relógios que passarão por ensaio de desempenho no laboratório do Departamento de Engenharia da USP São Carlos. As 200 unidades sorteadas serão removidas até o dia 26 de março e os especialistas da Universidade recebem os equipamentos no dia 27 deste mês para a perícia”, explicou o vice-presidente da CPI.

 

A Energisa tem um prazo de sete dias úteis para retirar os 200 relógios.

Compartilhe: