Doenças do coração são as que mais matam no mundo

No Brasil, mais de 300 mil mortes são decorrentes de problemas cardiovasculares, sendo as mulheres as maiores vítimas Por em Janeiro 9, 2018 7:16 pm , Categorias: Categorias:

 

 

Os dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) são assustadores. Cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas de doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos ou derrames. A principal causa continua sendo a pressão alta, seguida da diabetes e do colesterol.

 

No Brasil, os índices seguem a tendência internacional. Mais de 300 mil mortes são decorrentes de problemas cardiovasculares, sendo que as mulheres são as maiores vítimas. “A causa é uma mistura de tudo. Um estilo de vida que não é saudável, estresse e genética. O uso de bebidas alcoólicas e o tabagismo também são fatores de risco”, esclarece o chefe do serviço de cardiologia do Hospital Unimed Campo Grande, Délcio Gonçalves da Silva Júnior.

 

A principal forma de combater as doenças que atacam o coração é a prática de uma vida equilibrada. A receita é simples e composta basicamente de três ingredientes: exercícios físicos frequentes, alimentação balanceada e estresse controlado. “Em relação à alimentação balanceada é importante ressaltar que dietas exclusivas ou restritivas, sem glúten, sem carboidrato ou apenas com proteínas não são indicadas. Seria uma dieta equilibrada, que como o nome diz, consegue equilibrar tudo o que o corpo precisa. Evitar o estresse e ter uma saúde emocional também são essenciais”, ressalta.

 

Apesar de toda a informação disponível para essa mudança de hábito, o cardiologista ressalta que mesmo em casos graves ou que a prevenção não é mais possível há novas tecnologias que detectam o problema com antecedência e melhoram a qualidade de vida do paciente. “É importante ressaltar que apesar da frequente taxa de mortalidade decorrente de doenças cardiológicas é possível detectar até mesmo casos avançados e com uma equipe qualificada salvar a vida do paciente”, explica o cardiologista.