01 de Abril de 2013

Produtores visitam agroindústria modelo

Uma missão técnica formada por produtores rurais de Sonora e Chapadão do Sul, técnicos e consultores do Sebrae no MS, além de representantes das prefeituras destes municípios visita nesta quarta-feira (3) dois estabelecimentos gerenciados pela Acodecol (Associação Comunitária de Desenvolvimento Artístico e Cultural de Caracol).
 

Pela manhã, eles estarão presentes na unidade de processamento de vegetais, para conhecer a estrutura e a forma como as atividades são organizadas. Na parte da tarde, se dirigem até o laticínio, onde conferem o porquê do local ter sido escolhido para fornecer produtos a estabelecimentos que recebem em 2014 delegações de mais de 30 países, durante a Copa do Mundo FIFA de Futebol.
 

“Nossa intenção é mostrar aos produtores um caso de sucesso que se encaixa na realidade local”, afirma Carlos Eduardo Cordeiro, técnico do Sebrae no MS.
 

Fazem parte da missão membros dos assentamentos Piquiri, de Sonora, e Aroeira, de Chapadão do Sul, que receberam capacitações da entidade de apoio à micro e pequena empresa nas áreas de mercado e gestão; com consultoria financeira, diagnóstico de boas práticas, melhoria de embalagens; entre outros.
 

O objetivo é preparar estas comunidades para comercializar os produtos por meio de canais do governo, como o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos); e também através do mercado privado.
 

“Um dos grupos já industrializa leite, mas precisa de exemplos para visualizar como aumentar a produção, expandir os negócios, diversificar o mix de produtos oferecidos e formar parcerias com outros produtores da região”, explica Carlos Eduardo.
 

Segundo ele, na ocasião, médicos veterinários dos municípios, que atendem diretamente aos assentados, mostram pontos fundamentais da estrutura que devem ser respeitados no processo de produção. Além disso, uma consultora do Sebrae/MS aponta medidas técnicas e administrativas que devem ser usadas como modelo. 
 

LATICÍNIO DE CARACOL
 

O investimento inicial para que a planta saísse do papel foi de R$ 400 mil. No início, o local recebia 80 litros de leite por dia e, hoje, são 20 mil litros. Diante do aumento da demanda, a previsão é que em dezembro deste ano seja inaugurado um novo laticínio. A obra, que tem início em julho com o apoio da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), possui investimento de R$ 1,9 milhão para a compra de maquinários mais modernos e vai gerar 35 empregos diretos em toda a cadeia produtiva.