Campo Grande, 01 de Setembro de 2014

Você está em: HOME Notícias Cultura Bloco Frei Mariano abre Carnaval de Corumbá

26 FEV 2014

Bloco Frei Mariano abre Carnaval de Corumbá

A folia em Corumbá começa oficialmente nesta (26) com a descida do bloco Sandálias de Frei Mariano, criado em 2006 pela ativista cultural Helô Urt, autora também do samba que satiriza a lenda segundo a qual o pároco rogou uma praga na cidade ao ser acusado de mau pagador, no início do século XX. “Mas como praga de urubu/Não mata cavalo/As sandálias de Frei Mariano/É carta fora do baralho”, diz a letra.

O carnaval de rua pantaneiro evolui a cada ano a caminho da profissionalização e fomentando a indústria da folia com 1.500 empregos nos barracões, serviços em alta e oportunizando ganhos extras às famílias no circuito gastronômico que se estabelece ao longo da passarela do samba. Em 2013, o carnaval movimentou R$ 9 milhões na cidade e este ano a prefeitura investe R$ 2 milhões na organização.

Com o tema “Carnaval Cultural – Patrimônio da Alegria”, a folia  se iniciou, na realidade, no dia 26 de janeiro com o primeiro Esquenta Corumbá, onde se apresentaram as baterias das escolas de samba e blocos, no porto geral. No último dia 15, a cidade reviveu o baile de máscara, e no dia 21, abriu o Jardim da Folia, na Praça da Independência, com exposição fotográfica (carnaval de todos os tempos) e concurso de marchinhas.

Escolas de Samba

Além do Sandálias de Frei Mariano, mais dois blocos desfilaram pelas ruas centrais: os Fusqueiros e o Moto Folia. Mantendo a tradição, nesta quinta-feira (27), saem os blocos de sujos, dentre os quais o Chupeta, um dos mais famosos. Nesse dia também acontecerá a 33ª edição do desfile de fantasias, evento estadual. Na sexta-feira (28), mais blocos de sujos (o Cibalena atraindo mais de 15 mil foliões).

Neste sábado de Carnaval, haverá o desfile dos onze blocos oficiais. Neste domingo (2), se apresentam as escolas de samba do Grupo B: Caprichosos de Corumbá, Estação Primeira do Pantanal, Imperatriz Corumbaense, Major Gama e Vila Mamona. No dia 3, as escolas do Grupo A: Acadêmicos do Pantanal, Marquês de Sapucaí, Nova Corumbá, Império do Morro e A Pesada. No dia 4, carnaval cultural (bonecos, corso, alas das pastoras e dos marinheiros e bloco do frevo).

Som digital

No sábado, o corumbaense terá mais um pretexto para se concentrar na Avenida General Rondon e cair no samba: foi o dia do ensaio técnico das escolas de samba, quando a organização do carnaval faz a aferição do sistema de som móvel que acompanha as entidades durante o desfile. Para muitos, uma prévia do mais animado carnaval de rua do Estado, que deve atrair milhares de turistas.

O ensaio técnico resolveu um dos problemas cruciais do desfile: a má qualidade do som, que prejudicava as agremiações e o público. Além da equalização do som para os instrumentos de percussão e de cordas, é um teste também para todo o sistema de áudio espalhado pela passarela do samba, que chega a 100 mil watts de potência. As escolas também treinam os recuos e o posicionamento dos ritmistas.

A organização da festa colocou dois veículos equipados com seis microfones e sistema de áudio digital, cujo sinal é transmitido a dezenas de caixas acústicas instaladas ao lado dos camarotes e arquibancadas, para acompanhar as baterias e os puxadores dos samba-enredos. Com isso, evita-se atrasos, que eram comuns, e o som irradia-se por todo o percurso – rua Frei Mariano e Avenida General Rondon.

Camarote

O circuito do carnaval conta com 70 toneladas, distribuídas nas estruturas dos 52 camarotes (1.170 pessoas), arquibancadas (4 mil lugares), tendas, torres de jurados, palco (para os shows na Praça Generoso Ponce). Serão instalados ainda 95 banheiros químicos. A prefeitura montou um estande de informações turísticas na entrada da cidade (Posto Lampião Aceso, na BR 262) com receptivo.

Os camarotes instalados na General Rondon, onde ocorrem os desfiles das escolas e bloco, custam entre R$ 4,5 mil e R$ 4 mil para grupos de 15 pessoas e os cinco dias de folia. Haverá espaço individual a R$ 250 por pessoa. Mais informações pelo telefone 9687.5515. O acesso a Corumbá, pela BR 262, tem tráfego tranquilo, mas é bom ficar atento para os radares. A partir de Miranda, são 19 em operação em 210 km.

< Voltar