Animal Comunitário: projeto previne procriação descontrolada

Carlão Borges: população animal aumenta e exige melhores cuidados

Com a criação do Programa Animal Comunitário, uma proposta do Executivo aprovada pela Câmara Municipal, Campo Grande ganhou instrumento eficiente para melhorar as políticas públicas de prevenção ao descontrole na procriação. Esta é a avaliação do vereador Carlão Borges (PSB), ao comentar ao voto unânime dos colegas a favor do projeto de Lei Complementar 701, alterando o Código de Polícia Administrativa e o Código Sanitário Municipal.

Além de ampliar as políticas de controle da procriação, o programa melhora as intervenções preventivas e de combate à proliferação de parasitas e várias patologias. Antes, pelo Código de Polícia Administrativa, era proibido manter animais nas vias públicas, exceto os domésticos e de pequeno porte, conduzidos por seus donos.

Segundo Carlão Borges, com mais de 900 mil habitantes, aumentou também em larga escala a população de animais domésticos na cidade, especialmente os cães e os gatos. Agora, os animais atendidos pelo programa também podem ser mantidos nas ruas, desde que bem cuidados pela comunidade.

Animal comunitário é o que desenvolve laços de afeto e dependência com a comunidade, ainda que não possua responsável único. Pode continuar e ser mantido no local em que vive, sob a responsabilidade de um tutor, cadastrado na Prefeitura. O tutor poderá, entre outras ações, colocar casinhas nas vias públicas e outros lugares para abrigar os animais.

Compartilhe: