Campo Grande recebe campeões mundiais do vôlei em junho

Cidade está pronta para eventos como a Liga das Nações, afirma Marcelo Miranda, da Fundesporte

 

 

A Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte) realiza um dos mais completos e consistentes processos de modernização e reestruturação em sua política pública. E esta é a síntese da explicação para a inserção cada vez maior do Estado nas mais importantes agendas de competições, congressos e eventos do setor, como demonstra a confirmação de uma etapa da Liga das Nações de Vôlei Masculino em Campo Grande.

 

Esta boa notícia, segundo o presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda, tem como sustentação os investimentos e o conceito que o governo vem imprimindo para capacitar Mato Grosso do Sul entre os centros esportivos de referência no Brasil. O caminho é árduo e longo, as coisas acontecem a médio e longo prazo. Miranda sabe disso. E sabe também que com os avanços já consolidados, os primeiros frutos podem ser colhidos.

 

É o caso da etapa da Liga das Nações, que em junho vindouro deslocará para Campo Grande uma chave com quatro das maiores seleções do planeta (Brasil, Itália, Rússia e Alemanha), três delas com títulos mundiais e olímpicos. Craques como os brasileiros Lucarelli, Lucão, Wallace e Alan dispensam apresentação e por onde passam atraem grandes públicos. Esta será a maior competição internacional de vôlei no País este ano e servirá de aperitivo nobre para as Olimpíadas do Japão.

 

EXIGÊNCIAS

 

Para que esse presente fosse assegurado aos desportistas locais, várias exigências tiveram que ser cumpridas. Por fim, no último dia sete, foi assinado o protocolo de intenções que sacramentou a capital sul-mato-grossense entre as sedes do torneio. O governador Reinaldo Azambuja, o prefeito Marquinhos Trad, Marcelo Miranda e o diretor-executivo da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Radamés Lattari Filho, assinaram o documento.

 

Os jogos acontecerão entre os dias 19 e 21 de junho, no Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis, o Guanandizão, que está sendo reformado com investimentos e estruturas providenciados por uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura. Para cobrir custos do evento, o governo estadual desembolsará R$ 1,3 milhão de recursos próprios para a CBV e a Federação de Voleibol de Mato Grosso do Sul (FVMS).

 

Marcelo Miranda tem consciência da enorme dimensão do acontecimento para os sul-mato-grossenses. A última vez que a seleção verde-amarela esteve na cidade foi em 2004, quando derrotou Portugal pela Liga Mundial (hoje, Liga das Nações) em dois confrontos, ambos por 3 sets a zero. É mais um ponto destacado nos avanços de sua gestão. Porém, o presidente da Fundesporte, mesmo com o amplo reconhecimento da sociedade ao seu trabalho, sabe que ainda há muito a fazer. Por isso, renova a disposição de dar sequência ao modelo vitorioso de gestão que implementa à frente da Fundação.

Compartilhe: