Capital tem frentes de inclusão ampliadas com esporte e educação

Fazendo a diferença: Bruno Nóbrega diz ter na felicidade das crianças sua melhor recompensa

 

 

A bem-sucedida campanha pela doação de chuteiras para atender os alunos da Escolinha Pública de Futebol de Campo Grande deu ao coordenador do projeto, Bruno Nóbrega, mais uma definitiva certeza: a de que, com o envolvimento da sociedade, é possível garantir avanços inclusivos, ampliando e fortalecendo as políticas públicas.

 

As doações de chuteiras do ano passado alcançaram a expressiva quantidade de 700 pares. Isso assegurou ao projeto do prefeito Marquinhos Trad (PSD) os calçados que livraram as crianças da penúria de fazer descalças as aulas práticas da escolinha. No entanto, Bruno Nóbrega vislumbrou outra possibilidade, pensando na grande população infantil da periferia em idade escolar.

 

São crianças que às vezes, por falta de um equipamento simples, ficam fora das salas de aula. Bruno Nóbrega partiu então de um ponto estimulante: a mobilização de doadores que conseguiu na campanha das chuteiras. E resolveu fazer a campanha das mochilas para as crianças do Jardim Canguru, uma das comunidades mais pobres da Capital.

 

A primeira providência foi procurar e conquistar parcerias para levar adiante a iniciativa. O site Campo Grande News e o Instituto Maná do Céu estiveram na linha de frente desse voluntariado. E a ação se desenvolveu com sucesso. Já nos primeiros dias deste mês foram arrecadadas 300 mochilas, distribuídas às 120 crianças atendidas no Jardim Canguru pelo Maná do Céu.

 

Sobraram 180 unidades, que terão semelhante destino, ou seja, completar o material escolar de outras clientelas infanto-juvenis em áreas da periferia da cidade. O Instituto Mana do Céu oferece coral, teatro, entre outras atividades extracurriculares no contraturno do período escolar.

 

Antes de colocar materiais escolares, as crianças foram surpreendidas com uma boa notícia: estreariam as mochilas numa viagem para o litoral paulista, inclusive com direito a uma apresentação do coral em Peruíbe. Conhecer o mar, então, está entre as novidades que encantam grande parte desse público.

 

Professor há 16 anos, Nóbrega lembra que cenas durante o exercício da profissão o emocionam e isso é motivação para dar continuidade a ações que, a seu ver, transformam a vida de crianças e adolescentes. Bruno comemora o sucesso da campanha que arrecadou mais de 700 chuteiras. “Muitas pessoas se comoveram, inclusive, empresários que doaram quantias significativas. E tenho certeza que cada chuteira doada está fazendo a diferença na vida de uma criança”.

Compartilhe: