Covid-19: Governo endurece mais o jogo em Mato Grosso do Sul

Azambuja e Riedel: sociedade ainda precisa potencializar adesão ao distanciamento social

Com aproximadamente 2,9 milhões de habitantes, Mato Grosso do Sul começa a viver os dias que, provavelmente, podem ser os mais difíceis de seus 43 anos de vida. A pandemia do Covid-19 cresce, propaga-se em todas as regiões e já faz um desenho dos mais preocupantes, como o de quarta-feira (17), quando os dados oficiais da Secretaria de Saúde registravam 4.274 casos confirmados e 39 óbitos. Uma semana antes eram 2.597 exames positivos e 24 mortes.

Além disso, as taxas de isolamento social continuam excessivamente baixas em território sul-mato-grossense. O panorama seria outro se a adesão popular aos protocolos médico-científicos, principalmente o de ficar em casa, respondesse aos mais de 120 atos do governo estadual para controlar o fluxo de circulação humana e aglomerações. Mas a quantidade de gente que não cumpre o distanciamento social é muito grande, e isso fez o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) apertar mais o cerco.

CERCO

Atento aos números que revelam o repique de casos até em regiões que haviam voltado à normalidade, Azambuja decidiu apertar ainda mais o cerco no combate à pandemia: decretou o uso obrigatório de máscaras em todos os 79 municípios a partir desta segunda-feira (22). A medida foi tomada, segundo o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Corrêa Riedel, diante das recomendações solicitadas ao Centro de Operações Emergenciais (COE), um colegiado da Secretaria de Saúde (SES).

“O Centro desenvolve estratégias de acompanhamento, combate e controle do coronavírus”, explicou Riedel. “O governador Reinaldo Azambuja autorizou e assinou o decreto para tornar obrigatório uso de máscaras em todo o território sul-mato-grossense, já que os números de infectados, crescendo, impõem procedimentos mais duros e de maior efeito protetivo das pessoas e de inibição à velocidade do contágio”, completou.
Conforme o decreto, as pessoas devem ter máscaras cobrindo o rosto entre os olhos e o queixo quando estiverem em órgãos públicos, estabelecimentos privados de acesso ao público e nos veículos de transporte coletivo intermunicipal e interestadual. Eduardo Riedel disse que há uma preocupação crescente das autoridades de saúde em relação ao aumento da quantidade de infectados, principalmente na macrorregião da Grande Dourados, que abriga 33 municípios.

“O uso de máscaras é importante cuidado com o coletivo, respeito ao próximo. Precisamos ter esta consciência. Por isso, é fundamental seguir os procedimentos para que seja possível controlar as taxas de contaminação”, reiterou. A secretária-adjunta de Saúde, Christinne Maymone, chama a atenção para a importância de ser criado um efeito multiplicador, com as pessoas que seguem o protocolo convencendo outras a fazerem o mesmo. “Assim conseguiremos, com certeza, fazer com que mais vidas sejam preservadas”, conclui.

Compartilhe: