Desenvolvimento: pandemia não esgota fôlego de MS para crescer

Programa Governo Presente investirá mais de R$ 4,5 bilhões nos 79 municípios até 2022

Uma intervenção de fôlego. Assim o secretário especial de Articulação Política do Governo, Sérgio de Paula, classificou, em entrevista à Folha, o Programa “Governo Presente”, salientando que o governo estadual vai investir, até 2022, R$ 4,5 bilhões nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. Em execução ininterrupta desde o ano passado, mesmo com a pandemia da Covid-19, o programa está levando adiante a primeira etapa das obras de infraestrutura, com desembolsos que somam R$ 1 bilhão em contratos já em execução ou licitados.

O dinheiro sai dos caixas do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário) e da Sanesul (Empresa de Saneamento de MS). Os investimentos priorizam a infraestrutura urbana e viária e não foram interrompidos e nem sofreram desaceleração por causa da pandemia. Segundo o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Corrêa Riedel, estas intervenções atendem a um planejamento que vem sendo cumprido desde o primeiro ano do mandato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Procuramos garantir equilíbrio fiscal e financeiro para combater a crise, mas sem abrir mão do desenvolvimento”, explica.

As dificuldades financeiras decorrentes da queda abrupta de arrecadação, um dos efeitos diretos da crise de saúde, não impediram o Estado de manter o cronograma das outras obras essenciais para os sul-mato-grossenses, como a construção e a reforma de nove hospitais, entre os quais os de grande porte em Dourados e Três Lagoas, e também os investimentos nas demais áreas priorizadas, como a educação, segurança, logística e produção.

“Nosso foco sempre foi o combate ao coronavírus, desde o início da pandemia”, observa Azambuja. “Mas também optamos por manter o programa de obras e a estrutura administrativa, com projetos que geram empregos e renda, proporcionam a confiança do empresariado e a qualidade de vida para a população”, afirma.

INFRAESTRUTURA

Relatório de junho da Agesul (Agência Estadual de Gestão e Empreendimentos de MS) detalha as mais de 270 obras em execução ou em processo de autorização de serviço, a maioria contemplando a melhoria da pavimentação, restauração e drenagem das vias urbanas, ampliação e modernização das redes de água e esgoto e construção de pontes e asfaltamento de rodovias. Investimentos que garantem infraestrutura urbana e escoamento de produção.

Grande parte das obras integra o programa Governo Presente, lançado em março deste ano pelo governador Reinaldo Azambuja para distribuir investimentos em todas as áreas em Mato Grosso do Sul, com recursos assegurados da ordem de R$ 4,3 bilhões. São nove rodovias sendo pavimentadas, dentre as quais a MS-223 (Figueirão-Costa Rica) e a MS-379 (Laguna Carapã-Aral Moreira), e 14 pontes de concreto em edificação em nove municípios.

Uma das obras iniciadas recentemente está em Anastácio. A ponte de madeira sobre o Rio Ribeirão Taquarussu, na MS-170 entre a BR-262 e o Assentamento Paulista, será trocada por uma de concreto armado, que dá mais segurança. “De seis em seis meses tem que trocar as tábuas da ponte, fora os acidentes que acontecem, principalmente com quem está de moto”, diz o produtor Etelvino Barbosa de Freitas, 62 anos.

Em Corumbá, construções de pontes de concreto e galerias na MS-243 estão no rol de investimentos. Em Ponta Porã, o Estado garante a implantação e pavimentação da MS-382, entre a BR-060 e a MS-270. Também serão asfaltados os acessos do Distrito de Taunay, em Aquidauana; do Balneário Municipal de Anaurilândia; do campus do IFMS de Nova Andradina; e do distrito portuário de Porto Murtinho.

Na área de saneamento, o Estado desenvolve um dos maiores programas de universalização do esgotamento sanitário. Só com projetos em execução na cidade de Dourados os investimentos somam R$ 60,9 milhões. São recursos próprios da Sanesul, de um total de R$ 177,5 milhões em investimentos neste semestre. Corumbá, onde o Estado contratou R$ 35 milhões em obras, também está contemplada com expansão e modernização das redes de esgoto e água.

PAVIMENTAÇÃO

Em Três Lagoas, o governo contratou projeto executivo para pavimentar 95 km da MS-320 (entre a BR-158 e a MS-377) e está restaurando vias urbanas e estradas não pavimentadas. A maioria das obras em andamento se concentra na área de saneamento básico. Os investimentos no município somam R$ 117 milhões, incluindo a construção do Hospital Regional (R$ 56,4 milhões), que está com mais de 80% das edificações concluídas, segundo a Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos).

Em Campo Grande, o governo estadual vem fazendo serviços de pavimentação, restauração e drenagem nos bairros, além de recuperar vias expressas, como a Avenida Mato Grosso, que vai receber R$ 5,3 milhões em melhorias e modernização do sistema de trânsito. As obras de infraestrutura em execução na Capital somam R$ 35,1 milhões, incluídas a conclusão do Aquário do Pantanal, no Parque das Nações Indígenas, e obras de revitalização de praças.

Compartilhe: