Empreendedoras conseguem auxílio para inovar e expandir na pandemia

Nilza trabalha com fornecimento de alimentos saudáveis e conta que, por conta da pandemia, suas vendas caíram cerca de 90%

A intérprete de libras Carol Morilo sempre gostou de cozinhar, mas nunca enxergou nisso uma profissão. Após algum tempo desempregada e diante da crise, assumiu sua facilidade no preparo de massas caseiras e passou a cogitar a possibilidade de transformar o que seria um hobby em um negócio rentável. Foi quando, em março deste ano, abriu a Casa de Massas da Carol, em sua própria residência.

Coincidentemente, houve o surgimento da pandemia em todo o País, o que trouxe algumas dificuldades ao empreendimento. Mas com a ajuda de parceiros, ela conta que a ideia tem dado certo. Entre as instituições que embarcaram nessa iniciativa, está o Fort Atacadista, que realizou a doação de R$ 1 mil em compras. Para Carol, o benefício veio em boa hora. “Pude comprar os insumos necessários para minha produção, como massa de pastel, trigo, queijo muçarela, óleo. Assim, economizei para investir em outros setores da empresa”, explica.

As massas são vendidas congeladas, para o cliente assar em casa, e o local funciona em formato delivery. As entregas são feitas pelo marido e, quando necessário, por um moto entregador terceirizado. Entre as delícias oferecidas no cardápio estão lasanha, panqueca pantaneira, canelone, filé de frango à parmegiana e matulas com pedidos a partir de 10 unidades. Há, ainda, caixas personalizadas com itens de café da manhã, para datas especiais. Segundo Carol, os pratos tem agradado a clientela, que surge de várias regiões da Capital. Os pedidos podem ser feitos pelo WhatsApp (67) 99831-0486.

Quem também foi contemplada por essa ação foi a cozinheira Nilza Viis, que mantém a Fitviis, um local para vendas de comidas saudáveis. Ela conta que deu início ao negócio há cerca de um ano, de modo informal, mas somente agora, com apoio do Sebrae, está transformando o projeto em uma empresa. Os destaques de sua produção vão para os alimentos low carb e naturais, para quem precisa seguir uma dieta mais balanceada.

Nilza conta que, por conta da pandemia, suas vendas caíram cerca de 90%, já que a maioria de seus clientes trabalhava em escritórios e agora passou a fazer o chamado “home office”. Com isso, a ajuda financeira oferecida pelo Fort foi a salvação da lavoura, dando um novo gás à sua produção. “Foi incrível receber esse auxílio. Com o dinheiro, poderei abastecer meus estoques por 20 dias. E quando se economiza, é possível passar um preço justo ao cliente, o que resulta em aumento de vendas. Estou muito grata”, diz. Os interessados nos pacotes de alimentação saudável podem procurar a Nilza pelo instagram (@fitviismarmitas) ou pelo número (67) 99103-4658.

O gerente nacional de marketing do Fort Atacadista, Celso Furtado, destaca a importância dos pequenos negócios para a economia local. “O Fort acredita no papel dos comerciantes locais, e por isso, como forma de incentivá-los neste momento delicado em que estamos passando, tem efetuado essa ajuda, de modo a minimizar os impactos provocados pela pandemia”, esclarece.

AJUDA MEU NEGÓCIO

O projeto é uma iniciativa da TV Record, com o objetivo de identificar e impulsionar pequenos comerciantes que estão tentando driblar a crise provocada pela Covid-19 e apresentar propostas de como melhorar o comércio dele, e conta com ajuda de parceiros como Fort Atacadista, Senac, Fiems, e Sebrae, que busca orientar também a importância das consultorias, o passo a passo para a abertura de uma empresa e até mesmo a utilização das redes sociais como mecanismo para alavancar o negócio.

Compartilhe: