Estrada pantaneira avança para ligar a Nhecolândia ao Paiaguás

Riedel: “Obra agrega valores sociais, econômicos, culturais e históricos”

Um investimento que vai fomentar a economia e agregar valores históricos, sociais e culturais, a Estrada do Taquari, um corredor de acesso à ponte que liga e unifica o Pantanal em duas de suas microrregiões, a Nhecolândia e o Paiaguás, já tem 10% de seus 54 km executados. Eduardo Riedel, secretário de Infraestrutura, salienta que, além de adiantada, a obra desperta nova motivação, sobretudo nos moradores e pecuaristas locais, empresários do trade turístico, universidades e organismos ambientalistas e de pesquisa.

Riedel explica que por determinação do governador Reinaldo Azambuja a Seinfra acelera o passo e intensifica o ritmo do empreendimento que transformará a realidade do Pantanal na região de Corumbá e Ladário. Só para a construção do acesso foram gerados 70 empregos diretos. “Esta iniciativa tem uma função que vai além da infraestrutura. É algo que traz nova realidade ao homem pantaneiro. O que uma comitiva leva 30 dias para atravessar, passará a fazer em um único dia”, compara.

São cerca de 680 km de estradas e rodovias que revitalizarão as atividades dos produtores rurais e aquecerão o turismo. De acordo com o Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária), Corumbá possui um dos maiores rebanhos bovinos do Brasil, com mais de 1,8 milhão de animais. Riedel destaca que um dos diferenciais da obra é a participação dos produtores rurais, tanto no projeto como no acompanhamento das etapas.

O projeto inicia no Porto Jofre, avança pela MS-214 até fazer a ligação Paiaguás-Nhecolândia e dá continuação à rota pela MS-228, até a Curva do Leque.

GOVERNO PRESENTE

Somados os investimentos em projetos e obras previstas e executadas, os recursos disponibilizados chegam aos R$ 245 milhões, planilhados no programa ‘Governo Presente’, com um pacote de obras que está mobilizando investimentos próximos aos R$ 4 bilhões em recursos próprios.

Compartilhe: