Ex-prefeitos não se intimidam e encaram apelos por renovação

Roberto Hashioka, do PSDB de Nova Andradina

Em Rio Verde de Mato Grosso (um nome que não mudou até hoje, mesmo estando a cidade em Mato Grosso do Sul) o pecuarista José de Oliveira Santos já se elegeu vereador, deputado estadual e três vezes prefeito. Tentou a quarta vez em 2016, mas fracassou. Agora, em outra tentativa, aos 75 anos, abrigado no velho e acolhedor MDB, pensa em fechar a sua trajetória política de cinco décadas com chave de ouro.

José de Oliveira, do MDB de Rio Verde

Assim como o rioverdense Zé de Oliveira, mais de 25 candidatos que disputam as prefeituras sul-mato-grossenses são ex-titulares do cargo máximo da política municipal. E não se intimidam com os apelos ruidosos e recorrentes da atualidade clamando por renovação. A idade e até comportamentos para eles combinam experiência e vigorosa capacidade para o entendimento das novas liturgias sociais e políticas.

Humberto Amaducci, do PT de Mundo Novo

 

Dos cinco maiores municípios, só Corumbá tem um ex-prefeito concorrendo. É o emedebista Paulo Duarte, que administrou a cidade de 2013 a 2016. Há cidades com mais de um ex na parada. São os casos de Mundo Novo, com Humberto Amaducci (PT) e Toninho Cavalcante (MDB); e Sidrolândia, com Daltro Fiúza (MDB) e Enelvo Felini (PSDB). Desses quatro, só Daltro Fiúza provou o licor do poder em doses repetidas: quatro. Agora quer a quinta.

Daltro Fiúza e Enelvo Felini (fundo) se enfrentam em Sidrolândia

EX VERSUS EX

Também existem casos curiosos, como a disputa de ex-prefeitos contra prefeitos que já exerceram o cargo em outras épocas e agora querem a reeleição. Em Anastácio, o prefeito Nildo Alves (PSDB), que administra o município pela terceira vez, só não alcançará seu quarto mandato se for batido pelo principal adversário, Douglas Figueiredo (MDB), que comandou a prefeitura em duas gestões.

Douglas Figueiredo e Nildo Alves, de Anastácio

Em Naviraí, o deputado estadual Onevan de Matos (PSDB) estava em duas frentes de luta, pela saúde e por votos. Acabou não resistindo aos impactos perversos da Covid-19 e faleceu na sexta-feira (13). Onevan já havia sido eleito gestor da cidade no período de 1989 a 1992. A única mulher do grupo de ex na disputa é Ilca Corral Domingos (MDB), que foi prefeita de Nioaque nos períodos 2001-2004 e 2005-2008.

Onevan de Matos, do PSDB de Naviraí, faleceu na sexta-feira (13)

Eis os outros ex-prefeitos que este ano voltam à cena tentando mais um mandato na sua conta: Zé Cabelo (PSDB), de Ribas do Rio Pardo; Nelson Cintra (PSDB), de Porto Murtinho; Tita Queiroz (MDB), de Paranaíba; Wlademir Volk Japão (MDB), de Dois Irmãos do Buriti; José Antonio Assad (PSDB), de Ladário; João Cassuci (PDT), de Angélica; Erney Barbosa (PSD), de Jardim; João Cavalcante (Podemos), de Sonora; Zé do Mano, em Pedro Gomes; Djalma Furquim (PDT), de Aparecida do Taboado; Lídio Ledesma (PP), de Iguatemi; Ildo Furtado (PSDB), de Figueirão; Obadias de Lana (PDT), de Bandeirantes; Toninho da Cofapi (DEM), de Inocência; Roberto Hashioka (PSDB), de Nova Andradina; Heliomar Klabunde (MDB), de Paranhos; Francisco Wanderley Mota (PSB), de Pedro Gomes.

Compartilhe: