Pequenas economias ganham novo incentivo do Estado

Azambuja aumenta em 10% a faixa de financiamento para os microempreendedores

Mais uma iniciativa de grande efeito no fortalecimento das pequenas economias de Mato Grosso do Sul foi efetivada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no início do ano. Ele aumentou de R$ 30 mil para R$ 33 mil a faixa de financiamento criada pelo Governo do Estado por meio do +Crédito MS, um programa destinado a alimentar, incentivar e revitalizar as micro e pequenas empresas.

Azambuja também elevou a margem máxima do faturamento-bruto dos beneficiários do programa, que passam a ter um teto de financiamento de R$ 400 mil anuais, ou R$ 40 mil a mais que os R$ 360 mil fixados para o exercício de 2021. As novas regras atualizam também as taxas de juros remuneratórios para os empréstimos. Antes, eram de 6% ao ano; agora, resultarão de um cálculo que combina a taxa Selic do Banco Central (de 9,25%) vigente na data da contratação, com uma taxa de juros prefixada em 12% ao ano.

Segundo analisa o governador, é essencial que os empreendedores de todo Estado tenham um suporte vigoroso para atravessar o período agudo de crise provocado pela pandemia do coronavírus. “O governo cumpre seu papel e atende uma expectativa deste que é o setor mais abrangente e de maior peso na economia, responsável pela maioria dos empregos diretos e indiretos”, salienta. Para Azambuja, a retomada efetiva do desenvolvimento precisa ser incentivada pelo poder público e impõe atenção diferenciada às necessidades de todos os setores da economia.

“Por isso criamos este mecanismo de estímulo ao empreendedor”, enfatiza. O Programa Estadual de Microcrédito Produtivo e Orientado (+CréditoMS) é uma linha de microcrédito que oferece recursos com juro zero aos microempreendedores, tendo o Estado como seu avalista. O parcelamento pode ser feito em até 24 vezes (inclusa a carência de seis meses).

 

Compartilhe: