Pix: Os benefícios da nova ferramenta aos pequenos negócios

pix-ferramenta-pagamentos-transferências-benefícios-pequenos-negócios-gratuito-dia-horário-online-digital-virtual-sebrae-campo-grande-ms-2020

O Pix, novo meio de pagamentos e transferências, entrou em operação em todo o país nesta segunda-feira (16). A ferramenta se soma a modalidades como boleto, TED, DOC e cartões e tem como diferencial permitir que transações sejam realizadas de forma instantânea em qualquer dia e horário, incluindo fins de semana e feriados.

Segundo o Sebrae, o Pix trará diversos benefícios para os pequenos negócios, além de aumentar a competitividade das instituições financeiras.

VANTAGENS

Além da praticidade, baixo custo e a disponibilidade, o sistema é vantajoso por proporcionar o pagamento instantâneo, com as transferências ou pagamentos concluídos em até 10 segundos.

“A possibilidade de melhora de fluxo de caixa dos pequenos negócios é um grande incentivo, já que o Pix é livre de prazos e todo o recebimento é instantâneo, além disso, o custo de aceitação é menor que dos demais meios eletrônicos de pagamento”, complementa o analista-técnico do Sebrae/MS, Vagner Teixeira.

Outro benefício trazido pela ferramenta é a multiplicidade, já que as transferências podem ser feitas entre pessoas físicas, jurídicas e governo, inclusive entre contas de diferentes instituições.

Por fim, uma questão que desperta preocupação por parte dos usuários é a segurança. Mas o Banco Central já afirmou que o sistema é seguro, com medidas que ampliam a segurança das transações.

COMO USAR

O primeiro passo para os empresários utilizarem o Pix é definir qual conta irão realizar as transações, já que existem mais de 700 instituições cadastradas no sistema.

Após decidir a instituição financeira, é preciso definir qual método de pagamento irá aceitar: QR Code ou chave Pix. Apesar de começar a funcionar na última segunda-feira (16), o cadastramento das chaves começou bem antes.

A chave é um meio de identificar a conta do usuário, e pode ser escolhida a partir de quatro tipos: CPF ou CNPJ, e-mail, nº do celular e uma chave de segurança aleatória de números e letras. Assim, na hora de fazer transferência, o usuário deverá apenas informar a chave Pix. Não será necessário preencher nome, CPF, conta e agência, como é feito atualmente.

Compartilhe: