PPP da Sanesul acelera meta de atender toda população

Azambuja, Riedel e Eliane comemoram o resultado de mais uma PPP vitoriosa para o Estado

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) definiu como vitória dos sul-mato-grossenses o resultado do pregão de sexta-feira (23), quando a Aegea Saneamento e Participações S.A. venceu o leilão da Parceria Público Privada (PPP) da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul).

Azambuja disse que um dos ganhos mais importantes é a abreviação do tempo de universalização do sistema de saneamento. “O deságio de mais de 38% na tarifa inicial também é importante porque capitaliza ainda mais a empresa para investir em água, possibilitando ao Estado ter um sistema de saneamento com maior qualidade”, acrescentou.

A Aegea venceu com a oferta tarifária de R$ 1,36 (m³), um deságio de 38,46%, em relação ao preço inicialmente fixado pelo edital, de R$ 2,21 (m³). A companhia passa a gerir a prestação dos serviços públicos de esgotamento sanitário em 68 dos 79 municípios. “Esperamos que até 2022 alcancemos 70% de cobertura total e em 10 anos a universalização”, calculou Azambuja.

LEGADO

“Estamos felizes com o resultado. Operar o sistema com a Sanesul é de extrema importância. É um modelo no qual a gente acredita muito”, disse Rogério de Paula Tavares, vice-presidente de Relações Institucionais da Aegea. O secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, sublinhou: “Quem ganha é a população, é um legado que este Governo deixa para Mato Grosso do Sul”.

O diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr, também chamou a atenção para as vantagens da parceria. “Quatro propostas participantes e um deságio de mais de 38% no valor inicial da tarifa. Ganham Estado e Sanesul, trabalhando em parceria com a Aegea para investir logo no saneamento básico, em busca de universalizar o sistema de saneamento. Com isso, creio que seremos o primeiro do Estado a alcançar essa meta”.

Secretária Especial de Parcerias Estratégicas (EPE), Eliene Detoni, acentuou que foi uma ideia bem construída e executada pelo governo. Ela é uma das pessoas do corpo técnico que se debruçou nos estudos para garantir qualidade e segurança ao projeto. “Conseguimos isso quando inserimos os 68 municípios. E isso se fez demonstrando como se pode assegurar um serviço de qualidade aos pequenos municípios”, frisou. A atual gestão assumiu com 35% de esgotamento sanitário e deve entregar com 70%.

Compartilhe: