Rinaldo vê luta pelos direitos da mulher com novo fôlego

Deputado destaca também o ganho estadual com eleição de Rose para a 3ª secretaria da Câmara

Três mulheres ocupando cargos congressuais dirigentes é para comemorar, não só pelo ineditismo e pelo significado histórico, mas por tudo o que representa de avanço nas lutas afirmativas de gênero e dos direitos da pessoa. Esta avaliação é do deputado estadual Professor Rinaldo Modesto (PSDB), ao comentar o resultado das eleições para a nova Mesa Diretora da Câmara Federal.

Segundo Rinaldo, as lutas no Brasil pelos direitos da mulher – sobretudo nas questões do feminicídio, da violência e outros abusos – ganharam um fôlego novo e promissor. O deputado crê que devem avançar pautas como o reforço às medidas preventivas e protetivas das mulheres, equidade de direitos trabalhistas e salariais e melhor condição de acesso ao emprego, à qualificação profissional e aos estudos.

“O mundo inteiro vive momentos importantes na questão dos direitos dos segmentos que mais sofrem com a exclusão, o preconceito, a violência”, analisa o parlamentar. “No caso das mulheres há muitos avanços. A presença feminina hoje já se amplia e se consolida em vários continentes, na política, nos negócios e na ocupação de postos dirigentes”, salientou.

GANHOS

Irmão da deputada federal Rose Modesto (PSDB/MS), eleita 3ª secretária da Câmara, Professor Rinaldo prevê ganhos concretos para o País e também para Mato Grosso do Sul com os resultados da eleição. “Elas agora são três mulheres no corpo dirigente da Casa, que é um centro das decisões políticas e legislativas do Brasil. Antes não havia voz nem voto feminino na Câmara. Agora são três. Não é o ideal, mas é um grande passo, um avanço histórico”, comentou. As outras eleitas com Rose são Marília Arraes (PT/PE) e Rosângela Gomes (Republicanos/RJ).

Rinaldo está convicto nos benefícios que a irmã pode intermediar para Mato Grosso do Sul. “Seu mandato está entre os mais produtivos, tanto na qualidade das proposições como na busca de recursos e projetos para o Estado. Agora, o espaço de ação política e congressual é mais amplo e isso ela vai transformar em novos avanços pelo desenvolvimento do Estado”, conclui.

Compartilhe: