Sebrae e Prefeitura ampliam suporte gratuito ao microempreendedor

Acordo de cooperação busca melhorar a competitividade de empresas locais

Nesta terça-feira (27), o Sebrae/MS e a Prefeitura de Campo Grande assinaram um acordo de cooperação que amplia a rede gratuita de atendimento ao microempreendedor individual (MEI) na Capital. Com a parceria, foi oficializada a oferta de seis postos de atendimento em prédios do município, que fornecem orientações para melhorar a competitividade das empresas atendidas.

A parceria formaliza um atendimento que já estava ocorrendo desde o início do ano, em dois locais da Prefeitura: Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) e na Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat). Agora, o acordo amplia o serviço de atendimento do Sebrae ao MEI para as quatro Incubadoras de Empresas da Capital.

Presente na assinatura, o presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae/MS, Jaime Verruck, que também é o titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), afirmou que o acordo irá incentivar o empreendedorismo em Campo Grande, culminando em emprego e renda.

“Queremos agradecer a Prefeitura por olhar a questão da simplificação e da desburocratização. Muitas pessoas que perderam seus empregos na crise estão se tornando microempreendedoras individuais, então temos que dar amparo a esse pessoal. E é isso estamos fazendo nessa parceria, levando qualidade de atendimento a estas pessoas, para que elas possam desenvolver mais facilmente a sua atividade empresarial”, disse Verruck.

Segundo o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, as instituições estão desempenhando um trabalho em conjunto que trará bons frutos. “A gente fala que quando há envolvimento, há desenvolvimento. Estamos trazendo para dentro da Prefeitura, e buscamos juntos o interesse maior da coletividade, principalmente da microeconomia”, afirmou.

Também presente na assinatura do documento, o secretário municipal de Gestão, Agenor Mattiello, reforça que foi preciso ampliar a oferta de postos de atendimento, uma vez que a procura tem sido grande. “Tivemos que transferir para outros locais porque aumentou a procura na Central de Atendimento ao Cidadão, felizmente agora já conseguimos com a ajuda do Sebrae instalar alguns postos”, disse.

Compartilhe: