Senador Nelsinho Trad conquista mais de R$ 5 milhões para MS

Oito municípios são contemplados com recursos para Saúde e Ponta Porã recebe R$ 650 mil para obras de infraestrutura

O senador Nelsinho Trad conquistou mais de R$ 5 milhões para nove municípios de Mato Grosso do Sul. Desses valores, R$ 4,4 milhões são do Ministério da Saúde para Cassilândia, Deodápolis, Fátima do Sul, Itaporã, Maracaju, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro e Três Lagoas e outros R$ 650 mil da Superintendência do Desenvolvimento do Centro Oeste (Sudeco) para o município de Ponta Porã.

Os recursos, segundo o senador Nelsinho Trad, foram liberados na semana passada e anunciados na segunda-feira (8) pelo parlamentar. Cassilândia recebeu R$ 600 mil do Ministério da Saúde para Incremento Temporário do Piso de Atenção Básica (PAB). Já Deodápolis, R$ 300 mil; Fátima do Sul, R$ 800 mil; Itaporã, R$ 300 mil; Maracaju, R$ 600 mil; Ribas do Rio Pardo, R$ 500 mil; e Rio Negro, R$ 190 mil.

O Ministério da Saúde também atendeu o senador Nelsinho Trad e liberou o pagamento de R$ 1,2 milhão do Incremento Temporário do Teto da Média e Alta Complexidade (MAC) para Três Lagoas. Do ranking dos municípios mais atendidos pelo senador Nelsinho Trad, encontra-se Três Lagoas, que já recebeu R$ 12 milhões de recursos federais.

Outro município também beneficiado por verbas da União é Ponta Porã. A Sudeco liberou R$ 650 mil para obras de drenagem e pavimentação. Até o momento, o senador Nelsinho Trad já conseguiu a liberação de mais R$ 10 milhões para Ponta Porã.

ROTA BIOCEÂNICA

Nelsinho Trad, que é presidente da representação brasileira do Parlamento do Mercosul, destacou as vantagens da Rota Bioceânica no Seminário 30 anos do Mercosul.

“Outro assunto que trago aqui é a Rota Bioceânica, que atende o Brasil, o Paraguai, a Argentina e o Chile. Pela análise, os quatro países vão se beneficiar e muito com o viés alternativo de transporte. Vem a calhar com o desenvolvimento pós-pandemia”, enfatizou.

Segundo o senador, o corredor bioceânico vai reduzir de 30 a 40% em valores de fretes, haverá redução entre o Brasil e a Ásia de 8 mil quilômetros marítimos e impacto de 10 a 14 dias a menos em viagens.

Compartilhe: