Cruella: quem foi ela antes

Cruella-Principal

Outro ano e outro filme da Disney em que um vilão clássico é retirado dos “cofres” e recebe uma história de origem. No entanto, embora Malévola de 2014 visasse tornar a vilã da Bela Adormecida simpática, Cruella abraça sua loucura e apenas conta a história de como Cruella se tornou a matadora de cachorros que é.

Cruella estrela Emma Stone como a personagem titular quando ela se muda inesperadamente para Londres, conhece os ladrões Horace e Jasper e sobe no mundo da moda, rivalizando com a deusa da costura, A Baronesa (Emma Thompson).

Assim como Glenn Close elevou o papel da Cruella De Vil mais velha na película live action 101 Dálmatas, Emma Stone traz um charme para a jovem Cruella. Apesar de se tornar uma vilã, ela é cativante e exige atenção sempre que está na tela. E, embora ela seja simpática no início como a tímida e inocente Estella (Tipper Seifert-Cleveland), ela eventualmente se transforma na personagem icônica e a abraça totalmente. Suas interações com Jasper (Joel Fry) e Horace (Paul Walter Hauser) também são significativas e consistentes com o que eventualmente ocorrerá. No entanto, minhas interações favoritas foram entre Cruella e o vendedor de moda Artie (John McCrea). Eles tiveram uma química incrível e foi um prazer assistí-los juntos. Enquanto Jasper e Horace aceitavam Cruella, parecia que Artie realmente a entendia. No geral, Emma Stone é fenomenal como Cruella e foi a escolha perfeita para o elenco. Emma Thompson também é fantástica como a estrita e arrogante estrela da moda, A Baronesa. Ela traz uma atitude tão severa e direta ao papel que faria Meryl Streep corar.

Na interpretação de Gillespie, Cruella nasce Estella, um gênio da moda, condenada a ser mal interpretada por muitas das figuras adultas que cruzam seu caminho. Depois de um trágico acidente envolvendo dálmatas, ela ficou sem casa e sozinha em Londres, com apenas seu próprio cachorro de estimação como companheiro. Ela imediatamente conhece dois órfãos, Jasper e Horace. A gangue de crianças rouba para sobreviver e manter o estratagema até a idade adulta, mas para Estella ela sempre anseia por mais, e esse mais, é a chance de trabalhar como estilista.

Cruella é uma mistura maluca de roubo e vingança. Afinal, o que é 101 Dálmatas senão um filme de roubo através dos olhos dos bens roubados? Então, naturalmente, ao girar a câmera para focar no vilão, o foco se volta para as complexidades e o acúmulo para a manobra. A mecânica de assalto estonteante de Cruella se transforma perfeitamente na última metade do enredo de vingança do filme, o que no final das contas funciona devido à química deliciosa quando Cruella finalmente consegue um antagonista digna.

Ao refazer Cruella, a Disney trouxe uma vibe O Diabo Veste Prada às telas. E enquanto o elenco foi incrível, a figurinista Jenny Beaven merece uma ovação de pé por seu magnífico trabalho nos figurinos. Trajes raramente são mencionados em minhas críticas simplesmente porque não são um aspecto que eu realmente entendo nos filmes. No entanto, as roupas são tão personagens aqui quanto o resto dos atores e são excelentes e impressionantes. Eles são todos únicos e diferentes uns dos outros e, como alguém que não tem interesse em moda, eu realmente me peguei querendo todas as roupas da Cruella (se eu fosse mulher usaria). Depois disso, não ficaria surpreso se Jenny Beaven anunciar uma linha de moda.

Há muita qualidade também em termos de enredo: contar aos espectadores sobre sua infância, como ela conheceu Horace e Jasper e depois explicar como ela se tornou Cruella De Vil é empolgante. E com o tempo de execução de 2 horas e 15 minutos, o filme é, estranhamente, curto demais.

Dar a Cruella um adversário foi a bola de ouro mais inteligente, porque reconstrói o vilão atemporal como um anti-herói distorcido. Há acenos bobos para o material original, mas em Cruella você não vai se preocupar com cachorros sendo abatidos na tela pra virar casacos de pele. Em vez disso, prepare-se para uma batalha épica de punk e moda entre duas mulheres perversas com a trilha sonora do incrível Nicholas Britell, cuja trilha sonora com guitarras avança no filme de uma forma cinética e elétrica. A Cruella não é tão perfeita quanto as costuras que Estella faz, mas há algo muito charmoso em seu ser.

5 pipocas!

Disponível no Disney+ e em cartaz nos cinemas.

Compartilhe: