Dark Waters: o lucro importa mais que a vida?

Dark-Waters-Principal

É surpreendente ver o diretor Todd Haynes se interessar por um projeto de investigação ambiental, afinal, ele é um pioneiro do novo cinema Queer (voltado às questões LGBTQI+) com preferência por melodramas exuberantes como Longe do Paraíso (2002) e Carol (2015).

Dark Waters é sobre a lenta e horripilante descoberta de que a empresa química DuPont, por décadas, escondeu seu uso do PFOA ácido, produzido pelo homem, causador de câncer – e que agora se acredita estar presente na corrente sanguínea de 99 por cento de toda criatura viva do planeta. Incluindo seres humanos. Felizmente, para a grande maioria, está em um nível muito baixo para causar danos, porém, aqueles que trabalham no cerne da produção da DuPont ou vivem nas proximidades de suas instalações não tiveram tanta sorte.

O filme mostra todo o trabalho de Robert Bilott (Mark Ruffalo), um advogado de Cincinnati que passou da defesa de empresas químicas para liderar a acusação contra suas práticas corruptas. Dark Waters começa quando Bilott é abordado por Wilbur Tennant (Bill Camp com uma voz cansada e sufocada pela serragem), um fazendeiro vindo do estado natal do advogado, West Virginia. Tennant insiste que a DuPont despejou resíduos químicos em seu riacho local e, por sua vez, matou 190 de suas vacas. E enquanto Bilott investiga as acusacões, a extensão medonha das ações da empresa se mostram cruéis – eles empurraram veneno para todos os lares americanos por anos sem serem descobertos. Assim, quando fica claro que Bilott pretende expor a verdade, o sorriso desaparece do rosto do presidente-executivo da DuPont (Victor Garber) e uma carranca colérica toma seu lugar. Esta empresa está pronta para usar todos os truques sujos na manga.

Mark Ruffalo não apresenta Bilott como o herói, mas sim, como um homem que foi despertado para o mundo da decência moral, apenas para ser recompensado com impotência e raiva ineficaz. Uma parte de sua missão é motivada pela lealdade às suas raízes de cidade pequena, e seus inimigos logo usam isso como uma arma contra ele, rotulando-o de “um caipira”.

Dark Waters mostra-nos um mundo de ganância inescrupulosa e cheiros pútridos – uma espécie de purgatório terreno. Um cachorro repleto de tumores perseguindo o próprio rabo no quintal, cheio de raiva: é o retrato da sujeira da indústria.

5 pipocas!

Em cartaz na Amazon Prime Video.

Compartilhe: