Justiça em Família: Aquaman surrando geral

Justiça-em-familia-Principal

O longa filmado e setado em Pittsburgh, do diretor Brian Andrew Mendoza, estreia na sexta-feira na Netflix. Tudo sobre sua primeira hora ou mais levaria os espectadores a acreditar que é um filme de vingança inteligente, mas relativamente padrão, sobre um homem que toma algumas decisões infelizes depois de ser empurrado para o limite. São perseguições, tiroteios, combates corpo a corpo e até uma tentativa de fuga das autoridades que culmina em cima do estádio de baseball dos Pirates (PNC Park).

Então, assim como Justiça em Família acalma você em uma falsa sensação de segurança de filme de ação, ela puxa o tapete debaixo de você com uma revelação que muda como tudo o que veio antes é percebido e adiciona uma camada emocional extra a uma já sofrida história sobre um pai tentando proteger a única família que lhe resta. É uma das surpresas mais bem executadas que você verá em um filme de ação que, em retrospecto, foi prenunciado apenas o suficiente para não vir completamente do nada. M. Night Shyamalan ficaria orgulhoso.

O filme começa estabelecendo o quão próximo Ray Cooper (Jason Momoa) é de sua filha Rachel (Isabela Merced).

Sua esposa é Amanda (Adria Arjona).

Ela é hospitalizada após um diagnóstico de câncer que mudou sua vida e ela não consegue sobreviver, e tanto Ray quanto Rachel são deixados para lamentar sua perda enquanto também fervem de raiva da empresa farmacêutica que atrasou o lançamento de uma droga experimental e potencialmente salvadora.

Depois de descobrir que pode haver outros motivos pelos quais a droga não chegou ao mercado a tempo, Ray começa a fazer aqueles que ele acredita serem os responsáveis ??pelo pagamento da morte de sua esposa. Isso obriga ele e Rachel a fugir, uma vez que algumas pessoas poderosas descobrem como ele está tentando mudar o modelo de negócios de uma indústria inteira.

Momoa normalmente interpreta figuras gigantescas como Khal Drogo em Game of Thrones e Aquaman no Universo DC. Aquu, ele é apenas um cara da classe trabalhadora de Pittsburgh que por acaso é roubado muito além da conta. É uma rara oportunidade para Momoa se expandir como ator, e ele consegue isso principalmente entre lutas extremamente violentas ou ensinando Rachel a lutar.

Em sua estreia como diretor, Mendoza mostra uma verdadeira autoconfiança ao encenar cenas de ação em grande escala. Pittsburghers apreciarão especialmente a batalha um-a-um que ocorre em um trem em movimento, um duelo até a morte em uma fonte reconhecível no centro da cidade e a perseguição mencionada que começa na Ponte Roberto Clemente e termina com holofotes de helicóptero iluminando Momoa em uma parte normalmente inacessível do estádio do Pirates.

Um dos truques mais legais que o filme usa é garantir que nenhuma ação pareça gratuita. Tudo está enraizado no desejo de Ray de manter Rachel segura e garantir que as pessoas que ele sente destruídas pelas empresas farmacêuticas sejam levadas à justiça. Pode-se julgar os métodos de Ray, mas tudo o que ele faz pelo menos faz sentido para o personagem.

O público pode ficar mais impressionado com Isabela Merced, que é o centro moral relutante de Ray. Ela ama seu pai, mas também sabe que ele está perigosamente perto de ir longe demais. Merced e Momoa têm uma ótima química, e ela prova que pode ter um futuro como heroína de ação em várias cenas de luta.

Há pouca sutileza em Justiça em Família. As empresas farmacêuticas priorizam os lucros em vez de vidas e têm uma relação íntima e desagradável com as empresas de saúde e a política. Embora seja muito pesado, ainda é interessante assistir a um grande filme de ação tentando lidar com temas complexos.

5 pipocas!

 

 

Disponível na Netflix.

Compartilhe: