Little Fires Everywhere: colisão de duas famílias

little fires everywhere

Little Fires Everywhere (Pequenos Incêndios em Todo Lugar) da Amazon Prime Video, de fato, começa com um incêndio. O drama se inicia com uma casa pegando fogo – “Haviam pequenos incêndios por toda parte”, diz um bombeiro, explicando que isso fora feito intencionalmente – o que configura o mistério central que flutua no pano de fundo da série de oito episódios. Mas, é claro, aqui também há fogos metafóricos fervendo por toda parte em muito mais drama.

Little Fires Everywhere, baseado no best-seller de Celeste N.G. de mesmo nome em 2017, ocorre no subúrbio afluente de Shaker Heights, Ohio. É Elena Richardson (Reese Witherspoon) que está em sua casa no momento do incêndio; e sua filha adolescente Izzy (Megan Stott), é que muitos assumem ser a jovem incendiária. A partir daí, a história volta alguns meses para quando Mia Warren (Kerry Washington), uma artista e mãe solteira, e sua filha adolescente Pearl (Lexi Underwood), chegam pela primeira vez em Shaker Heights. Elena chama a polícia quando as vê dormindo em um carro e, mais tarde, parte da culpa de ter feito isso resulta em alugar um lugar para as Warren. Há uma sensação desconfortável na maneira como Elena decide “ajudar” esta família negra; e por isso, não demora muito para que ela peça a Mia para trabalhar essencialmente como empregada – o que Elena vê como um favor a ela, e esclarece que a vaga significa, na verdade, “gerente da casa”, ou seja o que isso for.

Como você pode imaginar, Little Fires Everywhere preocupa-se fortemente com questões de classe e raça, e uma parte generosa da série entende bem como retratar esses assuntos tensos – especialmente através das lentes da maternidade. Mia e Pearl têm uma relação mãe & filha adorável e realista, na qual elas se amam profundamente, mas também batem cabeça constantemente. A grande fonte de tensão entre elas é a frequência com que se mudam. Pearl só quer ter uma vida normal e estável em um lugar só, mas Mia está sempre pronta para ir embora e recomeçar. É uma luta compreensível. Mia e Pearl também entram em conflito por causa da insistência de Pearl em ficar na casa dos Richardson com os filhos de Elena: Izzy, a pária rebelde que é agressiva e intimidada na escola; Moody (Gavin Lewis), que é gentil e imediatamente receptivo com Pearl (e que definitivamente tem uma queda por ela); Lexie, uma versão em miniatura de Elena que busca a perfeição e tem um relacionamento cada vez mais tenso com seu namorado negro; e Trip (Jordan Elsass), o atleta popular que constantemente só possui sexo como prioridade.

Existem razões compreensíveis pelas quais Mia não quer que Pearl faça amizade com os Richardsons – e muitas dessas, é claro, têm a ver com orgulho e não querer se sentir como um caso de caridade – mas ela está dividida entre proteger sua filha ou deixá-la ter uma vida que a faz feliz. E à medida que o destino das Warren e dos Richards ficam cada vez mais entrelaçados, Elena começa a investigar o passado de Mia e ao mesmo tempo, as crianças se tornam mais próximas e suas respectivas filhas começam a confiar nas mães uma das outras. Assim, a tensão só aumenta, chegando rapidamente a um ápice.

Em Little Fires Everywhere aprendemos desde cedo que cada uma dessas mulheres fez escolhas e fez sacrifícios. Cada uma delas tem seus próprios fardos e, tudo o que acontece aqui não pode deixar de ser inflamado pela questão racial. E as relações mãe-filha, o cerne deste drama, são sempre complicadas e nunca exatamente o que parecem.

5 pipocas!

Disponível na Amazon Prime Video.

Compartilhe: