Pacto de Fuga: a maior fuga da história do Chile

Pacto-de-Fuga

Uma página dupla de tablóide com a fotografia de uma mulher seminua que se autodenomina Papaya Dorada é o caminho para a salvação de 49 presidiários da Cadeia Pública de Santiago em 1988. Eles são presidiários da Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR) e do Partido Comunista (PC) e, um ano e meio depois de sua prisão, serão as estrelas da maior fuga em massa da história do Chile por meio de um túnel cavado com uma chave de fenda.

A impressão colorida da moça num jornal cobre o buraco no teto onde os presos políticos guardam sujeira e pedras desde que decidem fazer o túnel.

Não demora muito para que os próprios presos percebam que o plano de fuga inicial deve mudar. Dos cento e poucos propostos originalmente por León Vargas e Rafael Jiménez, apenas metade deverá conseguir. Eles terão que escolher entre os mais próximos e os mais confiáveis. E para ajudar mais ainda, um terremoto que quase desabou o túnel de 70 metros de comprimento por 70 centímetros de diâmetro acelera o plano de fuga.

Essa obra de 135 minutos é estrelado por Benjamín Vicuña como Léon Vargas e Roberto Farías no papel de Rafael Jiménez, os dois líderes da operação de fuga, conhecida como “Operación Exito”. Ambos são ativos no FPMR e apresentam feridas que nunca cicatrizam. Não só fracassaram no ataque a Pinochet em 1986, uma das razões de sua condição de presos políticos, mas também têm uma vida pessoal semi-estilhaçada ou simplesmente inexistente: Vargas teve sua família morta e Jiménez foi deixado por sua esposa Militante comunista como ele.

O filme é uma ficcionalização baseada em acontecimentos reais e nenhum dos nomes corresponde aos reais. É provável que algumas cenas não correspondam à fotografia exata do ocorrido, mas o diretor David Albala já disse em outras ocasiões que Pacto de Fuga é um filme de suspense e ação sustentado por uma contingência na qual é inspirado. Quer dizer, a ficção aqui sempre impera.

Pacto de Fuga tem um pouco mais inibido seu significado político e é, antes de tudo, uma narrativa das relações humanas, com lealdades e traições em meio a uma convivência difícil.

5 pipocas!

Compartilhe: