Sombras da Guerra: o pós-derrota na Alemanha

Sombras-da-Guerra-Principal

A guerra acabou. Embora os aliados vitoriosos tenham dividido o controle de Berlim, os verdadeiros vencedores são o povo da Alemanha. Em 1946, a vida está crescendo como nunca e os habitantes locais não poderiam estar mais felizes. Pelo menos, é isso que os noticiários da época os faziam acreditar. E alguns até acreditavam. Outros, porém, sabiam a verdade verdadeira.

‘Berlim é um grande bolo podre dividido em quatro fatias’, disse o cônsul americano Tom Franklin (Michael C. Hall) ao recém-chegado Max McLaughlin (Taylor Kitsch). Este último é um detetive do Brooklyn contratado pelo Departamento de Estado para levar o policiamento da “capital mundial do crime” aos padrões do NYPD para Berlim. Chocado com o estado de seu novo ambiente bombardeado, McLaughlin é imediatamente roubado – sua jaqueta foi levada por dois jovens e o primeiro se dá bem na sua frente.

Tendo se recuperado desse contratempo, ele está então mais do que preparado para o distrito que foi designado. O menor do setor americano, atualmente está alojado em um banco (graças a um incêndio recente apagado). Os interrogatórios acontecem no cofre, um lugar que também funciona como dormitório da vida destruída do membro mais jovem dos oficiais – Gad (Maximilian Ehrenreich), de 16 anos. A chefe da delegacia, Elsie Garten (Nina Hoss), revela a Max que, incapazes de portar armas, eles usam pernas de cadeira como cassetete e que dois tipos de crimes são denunciados – estupros e assassinatos.E o pior ele ouve dela: ‘Não há empregos e as pessoas estão ficando sem coisas para roubar. Com mercados negros abundantes e prostitutas em cada esquina, trapacear e espionar é como você sobrevive. Todo mundo nesta cidade tem um segredo’.

Todo mundo, incluindo Max. Acontece que ele só se ofereceu para o trabalho a fim de encontrar seu irmão mais velho Moritz (Logan Marshall-Green), um oficial do Exército dos EUA que enlouqueceu e sumiu no mundo depois que a luta parou.

No entanto, primeiro, Max terá que lidar com questões mais urgentes.

Perdendo-se em território americano, as forças russas atiraram em vários civis. Então apesar de estar treinando seus novos pupilos sobre como lidar com a cena do crime, Max se vê impedido com o chefe russo Alexander Izosimov (Ivan G’Vera).

Mesmo tendo sido avisado de que ‘em um lugar sem leis, você precisa ter um senso aguçado de certo e errado e reflexos rápidos’, Max não está preparado para a resposta do militar à sua sugestão de que o conflito deve ser um coisa do passado. A guerra não acabara, apenas entrou em outra fase.

Como em suas séries anteriores, The Bridge e Midnight Sun, os roteiristas suecos Mans Marlind e Bjorn Stein fazem um excelente trabalho em estabelecer um senso de espaço e lugar, além de um ótimo uso de todo o potencial dramático da época e enchem sua história de personagens e situações memoráveis.

Às vezes, é frenético, cinético, em outras, mais comedido, mas o aumento da tensão é palpável, e você será pressionado a ser atraído para este conto multifacetado que também inclui as tentativas de Elsie para impedir o perigoso Engelmacher, um homem que pretende ajudar as jovens problemáticas da cidade. Mas a bondade dele é uma armadilha para prender inocentes.

Sombras da Guerra representa efetivamente a Berlim quebrada, mas é o elenco que realmente vende a série. Eles podem não ser tão famosos quanto Taylor Kitsch e Michael C. Hall de Dexter, mas vale a pena passar um tempo com eles. Essas são apenas algumas das inúmeras razões pelas quais você vai ficar colado na tela ao acompanhar ou maratonar.

5 pipocas!

 

 

Disponível na Netflix.

Compartilhe: